Nesse artigo você vai aprender todos os passos do empreendedorismo para que você conheça essa necessidade de forma prática

Uma pergunta para você que deseja abrir a sua empresa: você se considera um empreendedor? Ta aí um dos grandes debates do mundo empresarial, o conceito de empreender. Uma das definições mais importantes está no livro “Capitalismo, socialismo e democracia”, escrito pelo economista austríaco Joseph A. Schumpeter no ano de 1942, quando ele apresenta o que o próprio denomina “desconstrução crítica”, que, na prática, nada mais é do que o ato de abrir uma empresa, já que na teoria o termo quer dizer dar vazão a ideias novas no lugar de conceitos ultrapassados, o que também tende a gerar a concorrência e a disputa, principal identidade do mercado. Ao abrir uma empresa, você está se desfazendo do antigo e criando um novo, além de gerar a famigerada concorrência.

Quando você descobre, então, que ao abrir a sua empresa, está sendo empreendedor, aí vai o banho de água fria, você ainda não é, pelo menos não ainda. Existe uma linha tênue entre o empreendedor e o visionário, sendo que todo empreendedor é visionário, mas nem todo visionário é empreendedor, ou seja, um completa o outro. Para que você entenda melhor, visionário é aquele que toma o primeiro passo de abrir a empresa, geralmente o passo mais fácil em relação aos outros, mas mais difícil por ser o primeiro e requerer justamente uma postura mais visionária. Já o empreendedor é aquele que, além de dar o passo visionário, planeja estrategicamente e faz, é aquele que abre a empresa, põe em prática. Como dizia o professor canadense, Louis Jacques Filion, “Um empreendedor é uma pessoa que imagina, desenvolve e realiza visões”.

Já se nasce empreendedor?

Empreender não é algo genético. Então, não, não se nasce um empreendedor. Apesar do empreendedor ser um ser social, e da sua percepção individual e a sua forma de enxergar as coisas interferirem diretamente em suas ações, não é uma carga genética que vai dizer se ele tem ou não o tino de empreender, mas, sim, as suas posturas práticas.

As ações desenvolvidas por alguém para se tornar um empreendedor passam pelo trabalho e pela inteligência econômica e estratégica em desenvolver um projeto de negócio para abrir a sua empresa.

Como diz a professora Maria Inês Felipe: “a profissão empreendedor não é fruto do nascimento ou de herança genética, mas resultado de trabalho, talento e reserva econômica. É própria de uma sociedade capitalista liberal e de sua ideologia de sucesso individual”.

O que leva alguém a abrir uma empresa?

Na maioria das vezes é a “ambição” e a independência, mas cabe uma explicação às aspas na ambição, pois aqui tratamos ambição no bom sentido da palavra, aquela que nos gera a motivação de buscar um lugar melhor do que estamos atualmente. Dito isto, vale ressaltar que por mais que a ambição e o senso de independência seja os principais motivos para se abrir uma empresa, existem muitos outros motivos comuns, como: a insubordinação e alguns motivos alheios a vontade pessoal, como o desemprego, por exemplo.

Mas para pensar no sucesso da empresa, vale refletir muito na motivação da sua abertura, se ela possui um ideal maior do que o ideal pessoal ou apenas é um mecanismo para que você se livre de determinado problema, seja ele qual for.

Pessoas que buscam fazer do seu empreendimento um modo de conforto pessoal, está indo para o caminho errado e desconhece o conceito de abrir a sua empresa, já quem  o chefe é o único na empresa a não ter teto de vidro, além dele ser o primeiro a entrar e último a sair para dar exemplo e mecanizar os resultados da empresa.

Isso é empreender, se doar ao negócio como um projeto que confunde-se por si só com a vida do próprio empreendedor.

O perfil do tipo de pessoa que abre uma empresa

No livro “O empreendedor: descoberta e desenvolvimento do potencial empresarial”, Vera Pati lista algumas características que, segundo ela, definem a postura de sucesso de um empreendedor. São essas posturas:

· ser motivado pelo desejo de realizar;

· corre riscos viáveis, possíveis;

· ter capacidade de análise;

· precisar de liberdade para agir e para definir suas metas e os caminhos para atingi-las;

· saber onde quer chegar;

· confiar em si mesmo;

· não depender dos outros para agir; porém, sabe agir em conjunto;

· ser tenaz, firme e resistente ao enfrentar dificuldades;

· ser otimista, sem perder o contato com a realidade.

Fale Conosco

Responda para Validar: 4 + 6 =